A era figital do varejo alimentar – estratégias para esse segmento
A era figital do varejo alimentar – estratégias para esse segmento

Todos os setores da economia vêm passando por uma intensa revolução digital. Mas, por suas peculiaridades, o varejo de alimentos sempre esteve alguns passos atrás para esta transformação. Apesar disso, há alguns anos observo iniciativas de importantes supermercadistas para evoluir suas operações para o mundo online.

Tantas movimentações do mercado indicam que o varejo alimentar já chegou à era figital — aquela em que há uma crescente confluência dos canais físico e digital, de modo que o consumidor é convidado a transitar por ambos de forma fluida. A operação mesclada dos canais online e offline pode ser considerada a mais completa e vencedora. E vou explicar o porquê.

A importância do mobile na estratégia figital

Primeiro, porque os canais digitais permitem o aprimoramento das relações com o cliente. Não podemos esquecer que o smartphone tornou-se um objeto indispensável a todas as classes sociais. Hoje, ele faz parte da rotina das pessoas. Sendo assim, passou a ser indispensável na estratégia de qualquer empresa para obter mais proximidade com os clientes.

Vale lembrar que, segundo dados do IBGE divulgados em 2018, o fato de o supermercado estar próximo é o principal fator de escolha por parte do consumidor em todas as classes sociais, elencado com 52% de relevância. Com uma estratégia eficiente e o app instalado no celular dos clientes, as marcas conseguem aumentar sua presença no momento do consumo e obter mais engajamento e fidelidade, estando, portanto, mais próximas.

Iniciativas para o figital

Atualmente, já existem muitas iniciativas no setor — como drive thru, compre e retire, utilização do aplicativo — para finalidades dentro da loja física e ofertas pelo celular de acordo com o comportamento de compras. Aqui no Brasil, por exemplo, já temos alguns testes de Shop & Go. Trata-se de uma estratégia figital que já vem sendo utilizada de forma mais ampla em outros países. Neste modelo, o cliente realiza a compra pelo app dentro da própria loja física, apenas escaneando o código de barras ou QR code dos produtos nas etiquetas com o próprio celular. O pagamento também é realizado dentro do app, evitando que o consumidor enfrente filas. Assim, o cliente está liberado para deixar a loja física, dependendo da solução, passando por um processo de conferência automatizado.

Dentro da perspectiva figital, as empresas de varejo alimentar passarão por um intenso aprendizado sobre o comportamento de consumidor. Dessa forma, serão cada vez mais capazes de gerar campanhas, ofertas, promoções e muito mais, de acordo com aquele cluster de clientes — ou mesmo exclusivamente para um único cliente, de forma muito mais assertiva.

Fonte: Ecommerce Brasil